Paul McCartney pede fim da obrigatoriedade de carne em refeições nas escolas da Inglaterra

Paul McCartney fez parte de uma carta aberta enviada ao secretário de educação do Reino Unido, Gavin Williamson, pedindo o fim da obrigatoriedade de servir carne nas refeições das escolas da Inglaterra.

Na carta, elaborada por uma campanha da organização ambiental PETA, o ex-Beatle que é vegetariano desde 1975, reforça o pedido de mais opções veganas para os cardápios das crianças. “Ninguém precisa comer carne, então não deveria ser obrigatório servi-las nas escolas. É hora de revisar as regras de alimentação escolares para ajudar o planeta, proteger os animais e promover uma alimentação mais saudável”, diz o texto, que também foi assinado pelas filhas do músico, Stella e Mary McCartney.

A campanha foi organizada depois que uma pesquisa realizada em 2019 revelou que 70% das crianças britânicas querem que mais alimentos veganos estejam presentes nas refeições escolares.

Paul McCartney sempre foi um ativista da causa e proíbe até que produtos de origem animal sejam vendidos em seus shows.

O músico, inclusive, deu uma recente entrevista ao radialista Howard Stern, e falou sobre as suspeitas iniciais – ainda que não provadas – de que a Covid-19 possa ter sido originada nos chamados “mercados úmidos” chineses, que vendem animais vivos para o consumo, entre eles, morcegos e pangolins. “Eu realmente espero que agora o governo chinês diga, ‘Certo, pessoal. Nós precisamos ser super higiênicos por aqui’. Vamos admitir, é um pouco medieval comer morcegos”, disse o baixista.

“As pessoas vão dizer que eles fazem isso desde sempre. Mas foi assim com a escravidão também. Você precisa mudar as coisas em algum momento”, acrescentou.

\m/ Long Live Rock! \m/

Tags , , , , , , , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta