Paul McCartney conta como John Lennon colocou um ponto final nos Beatles

Um assunto que sempre foi tratado como tabu na história dos Beatles foi abordado naturalmente por Paul McCartney em uma entrevista dada ao radialista Howard Stern. O músico, que está divulgando seu novo disco solo, “Egypt Station”, acabou revelando qual integrante colocou um ponto final na banda: John Lennon.

Na entrevista, é perceptível que até mesmo Howard Stern, que é sempre incisivo e direto, quis não despertar polêmica ao entrar no assunto. Foi o próprio Paul que resolveu esclarecer.

Uma cadeia de eventos no fim dos anos 60 foi responsável por fazer a banda atravessar um período de instabilidade até o seu fim. Desde a morte do empresário Brian Epstein, em 1967, passando pelo crescimento de George Harrison como compositor e a falta de sintonia da dupla Lennon/McCartney, responsável por tantas canções icônicas. E é claro, o relacionamento de John com Yoko sempre foi colocado como pivô desta ruptura.

Ao tocar levemente no assunto, Howard foi interrompido por Paul. “Quando vocês terminaram…e sabe-se lá quem terminou com a banda. Todos têm uma teoria”, disse o radialista. “Eu sei quem terminou”, respondeu o músico britânico. “Foi John”, completou.

“Houve uma reunião em que John reuniu a banda e disse: ‘Caras, eu estou deixando o grupo'”, explicou Paul.

Sobre a interferência do relacionamento com Yoko Ono no fim do grupo, o britânico admitiu que existiu esse fator. Na época, havia uma espécie de acordo entre o músicos de não haver influências externas no processo do quarteto. E Yoko começou a se fazer cada vez mais presente nos ensaios e gravações do grupo, o que Paul chamou de “intrusivo”. “Nós nunca tivemos que lidar com isso”, afirmou.

John sempre amou mulheres fortes. Sua mãe era uma mulher forte, sua tia era uma mulher forte. Hoje olhando para trás, o cara estava totalmente apaixonado por ela e você tem que respeitar isso”, completou.

Após o fim da banda, Paul McCartney e John Lennon, que outrora formaram uma das duplas de composição de maior sucesso da música, trocaram ataques silenciosos por meio de suas canções em carreiras solo, como Howard Stern lembra na faixa “Too Many People”. Na letra, McCartney diz: “Esse foi o seu primeiro erro / Você pegou sua maior oportunidade e a quebrou”.

Paul comemorou que, depois desse período conturbado, ambos fizeram as pazes. “E nós superamos, por sorte. Me sinto abençoado por termos superado. Por que se não tivéssemos bem e John fosse morto, eu não sei como iria lidar com isso”, explicou.

Howard Stern lembrou outra rusga entre o quarteto de Liverpool. Com todos os integrantes trabalhando em projetos solo, o fim da banda já era mais do que certo para a mídia britânica. E o pior, Paul planejava lançar seu primeiro álbum solo, “McCartney”, com apenas sete dias de diferença do lançamento de “Let It Be”.

John Lennon e George Harrison escreveram uma carta avisando Paul para que o lançamento de seu disco fosse adiato até junho. O recado foi deixado na recepção da Apple Records, mas o próprio Ringo se encarregou de levar a carta até a casa do colega.

“Já era horrível que estávamos terminando. E Ringo chega na minha casa… A data de lançamento já; estava certa e todo mundo sabia. E eles mandam uma carta? Eu mandei ele se fuder e o expulsei da minha casa. E ele foi. Mas nós nos resolvemos. Isso é família, concluiu.

\m/ Long Live Rock! \m/

Be Sociable, Share!

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*