Ozzy Osbourne critica uso de “Crazy Train” por Donald Trump

Ozzy Osbourne enviou um pedido oficial à campanha de Donald Trump impedindo o uso de “Crazy Train” em vídeos associados ao presidente dos EUA, de acordo com uma declaração feita pela esposa do músico, Sharon Osbourne.

A reclamação veio após o presidente publicar um vídeo zombando uma falha técnica que aconteceu durante o debate entre candidatos democratas. No vídeo, Trump aparece ao som da faixa de 1980 de Ozzy Osbourne:

Após a publicação, Sharon publicou uma resposta no Twitter, e uma declaração à Variety: “Baseado no uso não-autorizado de “Crazy Train”, de Ozzy Osbourne, esta manhã, estamos mandando um pedido à campanha de Trump (ou qualquer outra campanha) que está proibida de usar a música de Ozzy Osbourne em comerciais políticos. A música de Ozzy não pode ser utilizada sem aprovação”.

No Twitter, Sharon enviou uma alfinetada aos músicos que apoiam o presidente, dizendo: “Talvez Kayne Kanye West (“Gold Digger”), Kid Rock (“I Am the Bullgod”) ou Ted Nugent (“Stranglehold”) permitam”.

Esta não é a primeira vez que Trump teve problemas com uso não-autorizado de músicas em propagandas políticas. O presidente dos EUA já recebeu pedidos do Aerosmith e do Twisted Sister, impedindo o uso de faixas das bandas.

\m/ Long Live Rock! \m/

Be Sociable, Share!

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*