O The Cult está ‘bem no processo’ de fazer um novo álbum de estúdio, diz Billy Duffy

O guitarrista do The Cult, Billy Duffy, conversou com o Tone-Talk sobre o andamento das sessões de gravação do novo álbum da banda. O sucessor de “Hidden City” de 2016 está sendo dirigido pelo produtor Tom Dalgety, que já trabalhou com Ghost e Royal Blood, entre outros.

“Temos trabalhado nisso no último ano e meio”, disse Billy. “Estamos trabalhando com um grande jovem produtor inglês chamado Tom Dalgety. E, obviamente, com as circunstâncias do ano passado ou assim, tem sido um pouco desafiador, mas estamos fazendo alguns progressos.

“A filosofia no campo do The Cult, na verdade, é sobre qualidade, não quantidade”, explicou Duffy. “Não precisamos continuar lançando discos por causa disso. Sem ser ridículos, queremos, dentro de um determinado período de tempo realista, ter certeza de que os discos que lançamos são os melhores possíveis. às vezes isso leva um pouco mais de tempo. E é aí que estamos.”

Ele reiterou: “Estamos bem no processo do novo álbum do Cult.”

Falando sobre a abordagem de composição da banda desta vez, Billy disse: “Uma das coisas sobre o The Cult, eu acho, que pode valer a pena mencionar é que sempre houve um esforço criativo colaborativo entre mim e Ian [Astbury, vocais]. E como você pode imaginar, como qualquer tipo de situação, há discussões, e Ian quer ir para uma certa direção, e eu posso resistir, ou posso querer ir para uma certa direção. E essa tensão cria [som do The Cult]. Não é como Ian escreve ‘canções de Ian’ e Billy escreve ‘canções de Billy’, e nós os gravamos como The Cult. Não há ‘canções de Ian’ ou ‘canções de Billy’ – existem canções de Ian e Billy juntos. E ao longo do tempo, há um pouco de criativo – nem sempre é tensão; não quero dizer isso de uma maneira ruim. Isso é o que o torna bom. É essa mistura. Nós meio que nos respeitamos a ponto de achar que existe uma confiança nisso, e Acho que, depois de tantos anos juntos, e alguns anos separados, acho que confiamos um no outro e nos respeitamos há o suficiente.

“Acho que é saudável ter tensão criativa”, continuou ele. “Não há nada pior do que entrar em uma sala onde ninguém tem ideias. Prefiro ter uma discussão sobre algo criativo do que não ter nada, apenas o som dos grilos: ‘Tudo bem. O que vamos fazer agora?’

“Vemos as coisas de maneira muito diferente”, admitiu Billy. “Em muitos aspectos, somos muito parecidos. Nossos aniversários têm um ano e dois dias de diferença. Portanto, ambos somos taurinos. Nossos aniversários estão chegando muito em breve. Somos muito parecidos em muitos aspectos e muito diferente de várias maneiras.”

\m/ Long Live Rock! \m/

Tags , , , , , , , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta