Novo baixista do Nightwish explica como ele conseguiu um show

Jukka Koskinen da banda, também finlandesa, de Death Metal Melódico, Wintersun, falou com a Kaaos TV sobre seu novo trabalho como baixista de sessão para a turnê mundial do Nightwish em apoio ao “Human.: II: Nature.” álbum.

Koskinen juntou-se ao Nightwish como o substituto do baixista e vocalista anterior, Marco Hietala, que anunciou sua saída da banda em janeiro passado, explicando em um comunicado que não “era capaz de se sentir validado por esta vida há alguns anos”.

Falando sobre como ele conseguiu o emprego do Nightwish, Koskinen disse: “Foi há alguns meses. Recebi um telefonema do Nightwish e me perguntaram se eu estaria interessado [na] posição do baixista em relação ao que aconteceu, que Marco tinha deixado a banda. E, claro, obviamente, quando recebi aquele telefonema, pensei que era, tipo, ‘Uau’. Como um estranho, obviamente, eu não poderia pensar que, especialmente no Nightwish, eu não poderia pensar nisso nem mesmo que esse tipo de coisa pudesse acontecer. Mas, é claro, vida é vida. E, sim, com certeza, eu imediatamente , claro, disse que sim, com certeza eu estaria interessado. Sempre ouvi o Nightwish; sempre gostei muito da música deles. [É] uma música muito cheia de alma. Isso foi há alguns meses. E então fizemos alguns arranjos. Há dois meses, aproximadamente, eu estava praticando na Finlândia. Tive um meet-and-greet. Tivemos um meet-and-greet antes também, mas outro em que praticamos juntos pela primeira vez para ver como, sábio, a química estava indo, e nos conhecendo mais. Mais ou menos [como] uma audição – obviamente, é claro. Qualquer banda que encontrasse novos caras para entrar ou algo assim, você precisaria ter essas coisas. Eu faria o mesmo se eu estivesse do outro lado da mesa, se é que você me entende. Então, sim, deu tudo certo. Depois da audição, tudo correu muito bem, e os caras disseram: ‘Você está dentro.’ E o que eu disse mais do que com o sorriso mais feliz, eu disse de volta [para eles], ‘Estou dentro.’ Mas estamos falando, é claro, como um músico de sessão agora para o próximo ‘Human.: II: Nature.’ Tour.”

Questionado sobre se ele já havia tocado alguma música do Nightwish antes, Jukka disse: “Não, eu não tinha tocado [nenhum desse material]. Eu ouço o Nightwish desde os primeiros dias da Spinefarm, quando eles assinaram contrato com a gravadora] – [1998] ‘Oceanborn’; talvez daquele [álbum] em diante. Em termos de música, toquei no passado com alguns tipos de, tipo, não semelhantes, mas talvez aquele estilo ou gênero de música no passado . Mas eu nunca tinha tocado música do Nightwish. Isso era meio que, do ponto de vista de um músico, eu não conseguia acreditar que quando comecei a praticar as músicas, ou a experimentá-las antes mesmo de tudo estar resolvido, pensei que eu iria tentar, apenas senti que meu estilo de tocar é algo que realmente se encaixa nisso – eu tive essa sensação. E foi muito, muito, é claro, ótimo ver depois disso, ouvir os outros caras – eles basicamente me disse que ‘parece que você sempre tocou baixo aqui’. Parecia muito natural.”

Koskinen fez sua estreia ao vivo com o Nightwish no último fim de semana no primeiro dos dois shows interativos da banda “An Evening with Nightwish In a Virtual World” (“Uma Noite com Nightwish em um Mundo Virtual”) que deu início ao “Human.: II: Nature” tour. O Nightwish se apresentou em uma taverna chamada “The Islanders Arms” construída em um mundo virtual por duas noites – sexta-feira, 28 de maio e sábado, 29 de maio. Em ambas as noites, os fãs experimentaram uma apresentação de uma hora e meia, ouvindo canções vivem de “Human.: II: Nature.” pela primeira vez. Essas duas noites tiveram suas próprias setlists ligeiramente diferentes.

No mês passado, o tecladista e compositor principal do Nightwish, Tuomas Holopainen, disse que a decisão de Hietala de deixar a banda “foi uma surpresa”. Ele acrescentou: “Foi uma pílula muito difícil de engolir. E por alguns dias, eu estava bastante confiante de que não havia mais volta, que era isso. Lembro-me de falar com Emppu [Vuorinen], o guitarrista, e nós foram, tipo, ‘Você acha que é isso?’ – Sim, acho que é isso. Quer dizer, basta. Tanta coisa aconteceu no passado. Algo que quebrou as costas do camelo, como se costuma dizer. Depois de algum tempo – alguns dias – começamos a pensar que foi uma viagem de 25 anos, com tantos altos também, que essa não é a maneira de acabar com isso.”

Tuomas elaborou as razões da banda para continuar, dizendo: “Acho que ainda temos algo a dar, e esse é o ponto principal. A música ainda está lá. Sentimos que ainda há muita música que precisa sair dessa banda que , ‘Ok, vamos tentar mais uma vez.’ E então encontrar o novo baixista foi realmente fácil.”

Ele acrescentou: “Não é como se fizéssemos isso apenas porque precisamos fazer e não há mais nada a fazer. Em um nível pessoal, sinto que ainda há tantas histórias e melodias que quero compartilhar com o mundo com uma formação ou outro, é por isso que você deseja continuar e continuar.

“Eu disse isso um milhão de vezes, que uma mudança na formação é o vampiro de energia final, e é assim que realmente me senti e ainda sinto.”

\m/ Long Live Rock! \m/

Tags , , , , , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta