Morre Paulo Antônio Pagni, baterista do RPM, aos 61 anos

Paulo Antônio Figueiredo Pagni, baterista da banda Revoluções por Minuto (RPM), morreu neste sábado, 22, após passar mais de 20 dias em estado grave na UTI em um hospital de Salto, no interior do estado de São Paulo. A informação foi publicada oficialmente no Facebook da banda.

No início do mês, Fernando Deluqui, guitarrista da banda, anunciou que P.A havia morrido devido à uma fibrose pulmonar, no entanto, no mesmo dia, a assessoria do RPM desmentiu o ocorrido. Segundo eles, o estado de saúde do artista era considerado “muitíssimo grave”. O músico havia recebido a notícia pelos responsáveis pelo caso no hospital e revelou que “estava a maior confusão”.

A banda divulgou a seguinte mensagem nas redes sociais: “Nosso querido amigo P.A resolveu definitivamente descansar de sua brava luta pela vida. Partiu hoje em decorrência do agravamento das suas condições respiratórias devido a forte pneumonia que o atingiu. Ele estava internado no Hospital São Camilo, da cidade de Salto/SP, há (sic) mais de um mês. Fomos pegos de surpresa e tomados pela tristeza quando soubemos de sua partida à pouco”.

Apesar do falecimento de P.A., o grupo confirmou que fará um show que estava marcado, também para este sábado (22), na cidade de Garopaba (SC). “Temos o compromisso doloroso, porém imprescindível, de fazer o show dessa noite. Por vários motivos e pela honra de nosso irmão, sempre apaixonado pelo seu trabalho e extremamente profissional. Estamos em Garopaba/SC, temos a responsabilidade de tocarmos e darmos nosso melhor perante uma plateia estimada em 20.000 pessoas, em respeito à eles, à Prefeitura local que nos contratou e em coerência ao nosso profissionalismo, onde poderemos prestar uma homenagem ao nosso companheiro eterno de estrada que estará com certeza sempre ao nosso lado. Conseguimos antecipar nosso retorno para SP, e isso nos deixará em condições de estarmos presentes à ele pela última vez neste domingo pela manhã”, diz o texto.

P.A morreu aos 61 anos, e participou do sucesso da RPM entre os anos de 1984 a 1987. A banda brasileira de Rock conseguiu bater todos os recordes de vendas da indústria fonográfica do país. O grupo, antes formado por Paulo Ricardo, Fernando Deluqui (voz e guitarra), Luiz Schiavon (teclados) e Paulo Pagni (bateria), anunciou no início de janeiro o retorno da banda, agora com Dioy Pallone no baixo.

Com agenda de shows aberta, o RPM, em nova fase, divulgou duas faixas, “Ah! Onde Está Você” e “Escravo da Estrada”. No entanto, a banda ainda contempla os fãs com um repetório cheio de hits como “Olhar 43”, “Rádio Pirata”, “London, London”, “Loiras Geladas”, “Alvorada Voraz” e “Cruz e Espada”.

\m/ Long Live Rock! \m/

Be Sociable, Share!

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta