Mike Portnoy diz não ter nenhum desejo ou interesse em tocar novamente com o Dream Theatre

Portnoy, co-fundador da banda de Metal Progressivo Dream Theater há mais de trinta anos deixou abruptamente a banda em setembro de 2010, no meio de turnê com Aenged Sevenfold. Ele foi substituído por Mike Mangini (Annihilator, Extreme, James Labrie, Stee Vai) de imediato.

Mike passou os últimos meses se apresentando por todo o mundo com seu projeto Shattered Fortress junto com astros do Prog Metal como Ross Jennings nos vocais, Eric Gillette, Richard Henshall e Charlie Griffiths na guitarra, Connor Green no baixo e Diego Tejeida nos teclados. Juntos, eles estão apresentando “12 Step Suite” do Dream Theatre na sua totalidade, bem alguns outros clássicos. “12 Step Suite” documenta a batalha de Portnoy com o alcoolismo e é um conjunto de cinco músicas gravadas pelo Dream Theatre de 2002 a 2009, com títulos que refletem suas lutas: “The Glass Prison”, “This Dying Soul”, “The Root Of All Evil”,”Repentance” e “The Shattered Fortress”.

Perguntado pela estação de rádio Triple M da Austrália, como ele se sente sobre o fato de o Dream Theatre ter tocado algumas das músicas do “12 Step Suite” em suas turnês recentes, Portney disse: “Bem, olhe, eu deixei a banda e eles são livres para fazer o que quiserem. Não tenho controle sobre isso. Parece estranho quando ouço que eles estão interpretando algumas dessas músicas específicas, porque elas são muito pessoais para mim . Eu escrevi ‘A Change Of Seasons’ para minha mãe, que morreu em um acidente de avião. Então não há nada mais pessoal do que isso. Então, quando eu ouço que eles estão tocando uma música como essa agora, ou tocarem uma das minhas músicas do ’12 Step’, é estranho. Mas, obviamente, não consigo detê-los e não posso esperar que eles o façam ou não o façam – é uma prerrogativa deles – mas, para mim, é um pouco estranho. Mas é o que é”.

De acordo com Portnoy, ele se dá muito bem com os membros do Dream Theatre John Petrucci (guitarra) e Jordan Rudess (teclados). “Nós mantemos contato e nos enviamos bons e-mails e textos, e eu até consegui encontrar com ambos”, disse ele. “Então, sim, eu mantenho contato com esses dois caras”.

Pressionado sobre se ele espera que ele possa um dia tocar com o Dream Theatre novamente – possivelmente em um show único de celebração semelhante ao show da banda em 2004, onde eles convidaram o vocalista original Charlie Dominici e o ex teclista Derek Sherinian para tocar com eles em Los Angeles – Portnoy disse: “Não tenho esperanças disso, não tenho desejo nem interesse por esta fase, e também não penso que eles se interessem.

“Quando fizemos esse show do 15º aniversário [para o álbum de estréia da banda, ‘When Dream And Day Unite’], fui o único que alcançou Derek fui eu quem contatou Charlie”, continuou ele. “Eu até entrei em contato com oo [ex tecladista] Kevin Moore para isso. Então, eu acho que sempre fui o sentimental na banda que fez esse tipo de coisa. Pessoalmente, não acho que haja ninguém na banda nos dias de hoje que faria um convite como esse. Eu acho que é apenas a personalidade desses homens e minha personalidade – essa é a diferença”.

Portnoy, que celebrou seu quinquagésimo aniversário no Cruise To The Edge em fevereiro, disse que sempre fazia parte de seu plano principal apresentar o “12 Step Suite” em sua totalidade ao vivo no palco com Dream Theatre. No entanto, sua saída da banda tornou isso impossível.

\m/ Long Live Rock! \m/

Be Sociable, Share!

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*