Marilyn Manson é processado por abuso sexual por sua ex-assistente, Ashley Walters

Ashley Walters, ex-assistente de Marilyn Manson, abriu processo contra o cantor, alegando uma série de crimes, como agressão sexual, assédio sexual e inflição intencional de sofrimento emocional.

Walters é uma entre mais de uma dúzia de mulheres a apresentar alegações de agressão sexual contra Manson e a segunda mulher a apresentar uma ação judicial contra o cantor – a primeira foi da atriz Esmé Bianco, de Game of Thrones, em abril de 2021.

A ex-assistente era uma aspirante a fotógrafa quando conheceu o artista, quem propôs uma colaboração artística entre os dois. O processo afirma: Marilyn Manson abordou Ashley Walters nas redes sociais em março de 2010 para elogiar o trabalho dela. Dois meses depois, o cantor a convidou para ir à casa dele, onde tirou fotos dela e a encorajou a se despir.

Manson a prendeu em uma cama, onde tentou beijá-la, a mordeu e forçou a mão dela na cueca, de acordo com o processo. Ele mandou uma mensagem no dia seguinte e trouxe a ideia de colaboração profissional novamente. Walters decidiu ignorar a alegada agressão.

Depois disso, o dono de “The Beautiful People” agiu profissionalmente, e Walters chegou a concordar em posar seminua. Marilyn Manson não fez avanços naquele momento. Porém, logo depois disso, o cantor a deixou desconfortável, supostamente pedindo para trabalhar como diretora de fotografia caso passasse em um teste: aparecendo em um vídeo vestindo uma calcinha e jaqueta nazista.

Manson a contratou em agosto de 2010 como assistente pessoal, de acordo com o processo, e disse que poderia pagar-lhe o dobro do que ganhava como produtora. O cantor teria um temperamento explosivo e destruiria móveis, aparelhos eletrônicos e outros acessórios, forçando-a a arrumar tudo.

Enquanto isso, o cantor a forçaria a se relacionar com amigos dele. “Por volta de setembro de 2010, no Spike TV Scream Awards em Los Angeles, um [Manson] embriagado empurrou Walters para o colo de um ator e se gabou de como poderia ‘tê-la,'” afirma o processo. “O ator começou a beijá-la e mantê-la no colo. O réu costumava oferecê-la aos amigos e associados influentes da indústria.”

Além disso, em diversas viagens, Walters disse como Manson escondeu drogas, como cocaína, na bagagem dela. De acordo com a ação, a ex-assistente não poderia se opor porque poderia alertar os seguranças do aeroporto. O artista supostamente encerrou o emprego dela em julho de 2011, após descobrir que Ashley Walters passou um tempo com a então namorada, Esmé Bianco.

Em várias ocasiões, Marilyn Manson teria forçado Walters a trabalhar 48 horas seguidas. Ela diz ter sido demitida pela última vez em outubro de 2011 e continuou a assediá-la. Ashley Walters também acusa Manson de hackear o Facebook dela.

\m/ Long Live Rock! \m/

Tags , , , , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta