Fernanda Lira fala sobre o governo Bolsonaro em entrevista na Alemanha

A vocalista e baixista da banda Nervosa, Fernanda Lira, criticou fortemente Jair Bolsonaro. Ela chamou o presidente ultranacionalista de “a pior coisa” que aconteceu no Brasil recentemente.

Bolsonaro, conhecido na gringa como “Trump dos Trópicos”, sempre foi muito polarizante. Atitudes racistas, homofóbicas e misóginas têm revoltado muitos cidadãos brasileiros, incluindo a vocalista.

Ela comentou a situação política no Brasil com a imprensa alemã. “Essa é literalmente a pior coisa que aconteceu com meu país nos últimos anos. Em 150 dias de governo, nós voltamos uns 100 anos no tempo. Com leis e medidas estúpidas que ele tem feito. E não só politicamente. Mas o cara é racista, homofóbico, misógino. Ele é a pior coisa. E diz tudo isso abertamente – nem tenta esconder.”

Sobre Bolsonaro ter tido uma avaliação positiva de 49% em janeiro Lira tem uma teoria. “Ele tem aprovação porque, de algum jeito, hoje eu vejo que alguns brasileiros também são assim. Racistas, homofóbicos e misóginos. Isso é horrível. A gente estava marchando em direção a algo legal, aos direitos iguais, direitos para as minorias e coisas assim. Agora está desaparecendo”. Fernanda ainda comentou de casos como quando Bolsonaro disse que “se tivesse um filho gay, bateria nele até virar homem de novo”.

Mas Lira disse que, nesses tempos sombrios, ela fará de tudo para manifestar suas opiniões. Ela ainda acha que um estudo social deveria ser feito “para entender o que está acontecendo agora. Você vê gente pobre odiando gente pobre; você vê pessoas negras odiando pessoas negras; vê pessoas querendo ter armas para matar quem se aproxima delas”, disse. “Acho que as pessoas ficaram loucas. Temos muitos países no mundo que agora têm esses movimentos de direita loucos. É ridículo.”

Assista a entrevista completa abaixo:

\m/ Long Live Rock! \m/

Be Sociable, Share!

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*